PUBLICIDADE

Tesla está construindo uma \\\”gigafábrica\\\” de US$ 5 bilhões para baterias.

Fabrica de baterias da tesla

As empresas dirigidas por Musk e Rive — a Tesla Motors Inc. TSLA  e a fornecedora de sistemas de energia solar SolarCity Corp. SCTY  , respectivamente — são singularmente compatíveis, não só por causa das relações entre os dois, mas também como consequência de Musk participar do conselho da SolarCity e ser o principal acionista individual da empresa.

A Tesla fabrica carros, mas ela também — num futuro não muito distante — fará baterias. Muitas delas. A Tesla está construindo uma “gigafábrica” de US$ 5 bilhões em Nevada apenas para baterias. Musk diz que ela vai superar toda a capacidade atual do planeta de produzir baterias de íons de lítio, a maior parte das quais é hoje usada em celulares, tablets, laptops e outros aparelhos móveis.

Na conferência da quarta-feira, Musk divulgou que uma parte da capacidade da gigafábrica será reservada para a área de “armazenamento de energia”. Em outras palavras, a Tesla vai continuar sua tradição de produzir baterias para a SolarCity, só que numa escala muito maior.

Até o momento, a SolarCity vendeu baterias para energia solar fabricadas pela Tesla para um punhado de clientes corporativos e residenciais. O raciocínio é simples: o sol não brilha sempre, logo a melhor forma de administrar a energia solar no local é guardá-la para os dias nublados e o período noturno.

O faturamento da SolarCity vem crescendo 100% por ano desde sua fundação, em 2006, e Rive diz que seu objetivo é manter esse ritmo pelo maior tempo possível. Com esse fim, a SolarCity anunciou, em junho, a aquisição da Silevo, uma empresa fabricante de painéis solares do Vale do Silício. Rive insiste que ela é capaz de produzir em escala os mais eficientes painéis solares do mercado.

Musk diz que, embora sua gigafábrica não vá vender exclusivamente baterias armazenadoras de energia para a SolarCity, as conversas com a empresa são “nosso melhor feedback para saber como o produto deve ser”.

Musk foi além, descrevendo “o produto” como um banco de baterias “com boa aparência”, com cerca de dez centímetros de espessura e que pode ser montado na parede da garagem.

Musk também destacou que, num futuro em que um país mude totalmente para carros elétricos, seu consumo de energia irá praticamente dobrar. E isso pode tanto significar que haverá mais geradores de energia, e mais linhas de transmissão, ou uma migração para energia solar — exatamente o que a SolarCity espera.

Envie sua cotação para financiamento de energia solar

Leia a reportagem completa e: Fonte: THE WALL STREET JOURNAL